Abraciclo propõe medidas para reduzir acidentes com motos no Norte e Nordeste

Publicação 9 de 152

A Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo) participou do XVI Congresso Norte e Nordeste de Ortopedia e Traumatologia, organizado pela Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – Regional Pará (SBOT-PA), entre 17 e 19 de outubro, no Hangar Centro de Convenções da Amazônia, em Belém, Pará, com dados estatísticos, comparativos, comentários, relato de ações e propostas para tornar a circulação dos motociclistas mais segura.

Nas atividades do evento programadas a partir das 14h do dia 17, o diretor executivo da Abraciclo, José Eduardo Gonçalves, proferiu a palestra intitulada “Propostas e ações do Setor de Duas Rodas para redução de acidentes com motociclistas”, que traz as medidas realizadas pela entidade e suas associadas em busca da circulação mais segura dos motociclistas. Também divulgou as sugestões do Setor de Duas Rodas para se alcançar a paz no trânsito nas principais cidades do Brasil e, particularmente, das regiões Norte e Nordeste.

O executivo abordou, em detalhe, os resultados e desdobramentos do projeto “Causas Reais de Acidentes com Motociclistas”, um estudo científico e pioneiro na América Latina, realizado pela Abraciclo em parceria com o Hospital das Clínicas – HC, da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo – USP. Ele também detalhou as estatísticas e resultados do programa MotoCheck-Up, que em 18 edições realizou a  conscientização e orientação de mais de 32 mil condutores de motocicletas. Gonçalves divulgou o panorama das palestras sobre pilotagem segura para cerca de 2 mil estudantes do ensino  público de nível técnico, tratou dos benefícios resultantes dos treinamentos oferecidos pelas montadoras para frotistas de órgãos públicos, como SAMU, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Correios e apresentou as propostas encaminhadas às esferas governamentais e ao Congresso Nacional para melhorias no processo de Habilitação de condutores de veículos de duas rodas.

– É preciso observar que a frota de motocicletas é maior que o número de motociclistas habilitados em praticamente todos os estados das regiões Norte e Nordeste do país, conforme demonstram os estudos da Abraciclo, baseados em dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). Além disso, nas duas regiões, é flagrante a pilotagem das motocicletas por condutores sem o uso dos equipamentos básicos de segurança e com comportamento irregular diante das normas e regras de trânsito – comenta José Eduardo Gonçalves.

De acordo com o diretor da Abraciclo, a ocorrência de acidentes envolvendo motociclistas, no entanto, não é algo específico destas duas regiões do país, já que representa uma questão nacional, que exige providências de todos os setores para que seja solucionada.

– É muito importante que busquemos ações consistentes e integradas para obter a redução destes acidentes, preservando a segurança dos motociclistas. É neste sentido que a Abraciclo já propôs a melhoria imediata e o maior rigor no processo de Habilitação da categoria “A” (motociclistas), somados à intensificação da fiscalização de trânsito. Estas ações de curto prazo, no entendimento da entidade, devem ser complementadas com um amplo e consistente trabalho de Educação no Trânsito, desenvolvido continuamente e a longo prazo, já que é fundamental para a criação de uma cultura nacional de redução dos acidentes no trânsito, baseada no conhecimento e prática dos procedimentos de prevenção – complementa o diretor da entidade.

José Eduardo Gonçalves conclui que as mais variadas áreas da sociedade brasileira podem e devem promover ações integradas para a conscientização e educação no trânsito, envolvendo os atuais e os futuros condutores de veículos.

O texto completo está no site da Abraciclo.

Fonte: Abraciclo

, , , , , ,

Menu